Siga-nos no twitter!

Pipocando boas ideias em 140 caracteres.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Einmal ist keinmal

pipocado por Pércio Faria Rios às 1:29:00 PM
e então... 
0 comentários Links para esta postagem
30 de Setembro de 2010. Três dias para o 3 de Outubro que pode mudar ou não o rumo do país nos próximos quatro anos. E parece quase inevitavel não falar sobre política.
Primeiro erro do parágrafo inicial: não é possível mudar o futuro rumo do país, posto que ele não tenha, ainda, um rumo futuro e, ao mesmo tempo, tenha apenas um. Qualquer que seja ele, será diferente dos rumos imaginários que cada um de nós projetou. Qualquer que seja ele, será igual ao Futuro único que já existe desde o passado, e do qual não temos conhecimento algum. Vivemos no presente e uma só vez, o que já é, de certa forma, bastante cruel e castra boa parte de nossa liberdade. Fazemos escolhas? Não sei. Não podemos saber as consequências delas e estamos sempre tentados a comparações com as possibilidades das consequências das escolhas que nunca fizemos. Acreditar que temos controle sobre qualquer coisa é acreditar em abóboras invisíveis que deglutem tardes no mar morto. Elvino Pinheiro já escreveu um belo texto exemplificando essa situação. O provérbio alemão é igualmente preciso: einmal ist keinmal. Uma vez não conta. Uma vez é nunca.
Segundo erro: “inevitavel” está sem acento. Inevitável.
Terceiro erro: ___________________________________________________________.
Não queria falar sobre política, e não sei se estou falando; queria falar sobre unhas ou dedos, ou quem sabe juntar as duas coisas: Mindinho pra Deputado Estadual, Seu Vizinho pra Deputado Federal, Pai de Todos para Senador, Fura-Bolo para Governador e Mata-Piolho para presidente; quem não tem seis dedos pode anular o segundo voto para o Senado. Ainda haveria a possibilidade de colocar o Polegar Opositor num partido de esquerda.
O certo é que vamos às urnas no Domingo (nós que somos obrigados a ir ou a fingir que viajamos). Vamos repetir o gesto que repetimos de 2 em 2 anos e não sabemos o que vai se repetir durante o mandato dos sujeitos – com ou sem bons predicados – que vamos escolher. O certo é que o rio de Heráclito passa e, por mais que a política não mude e sempre se repita, nós mudamos e ela é, portanto, sempre diferente. Não podemos banhar-nos duas vezes nas mesmas politicagens, nas mesmas politicadas, nas mesmas enganações (engana-se mais quem pensa que não as tem). Nas eleições passadas eu tinha as unhas mais curtas e os dedos mais finos, entendem?
Termino aqui, então, a minha louvação ao povo brasileiro que acredita que algo pode ser diferente – e sempre é, como já vimos; que acredita na mudança do caráter de mentirosos como o Sérgio Cabral, que acredita na renovação da inteligência de gente como a Weslian Roriz, que acredita na reestruturação da integridade do Calheiros, do Collor, na conversão do Garotinho ao evangelho, do Crivella sobrinho do Macedo, no DEM, na seriedade do Tiririca, no talento de Netinho de Paula... Parabéns, Brasil! Você é foda!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Sobre o Ego

pipocado por Diego Augusto às 12:00:00 AM
e então... 
0 comentários Links para esta postagem

terça-feira, 14

Agora me sou todo ideia, garanto. Quando se desbrava o caminho da Sabedoria, ergue-se-lhe a mão do sofrimento, e é impossível seguir adiante sem antes segurá-la. E não há volta.

Eu já fui como você, eu já tive os mais inocentes sonhos entrincheirados em minha pele. Quando jovem, meus olhos fitavam logo à frente um lindo futuro para as pessoas, olhos estes que hoje nada veem adiante ou acima, afinal tudo está abaixo de mim.

Segurei o mundo em minhas costas por muito tempo, recebendo em troca alguns sorrisos. Mais forte, porém, eu sentia a mão do sofrimento à medida em que eu contemplava mais intensa a Sabedoria, e então dos antigos sorrisos formavam-se olhares de inconformismo e hostilidade. Não conseguiam entender-me, por isso eu os deixei partir.

Esteja certo de que eu tenho poder para erguer de volta o mundo, mas não quero. Concedo ao mundo a democracia, concedo-lhe o livre-arbítrio de caminhar para a própria desgraça estampando em face o sorriso antes oferecido a mim. A felicidade é um mero escambo, hoje eu entendo.

Entendo, agora, que minha companhia me basta, pois sou pleno em mim, e nem mesmo o sofrimento teve forças o bastante para continuar a atormentar-me. Agora me sou todo ideia. Agora me sou todo Sabedoria.

•••••••••

Os ombros suportam o mundo

Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.

Tempo de absoluta depuração.

Tempo em que não se diz mais: meu amor.

Porque o amor resultou inútil.

E os olhos não choram.

E as mãos tecem apenas o rude trabalho.

E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.

Ficaste sozinho, a luz apagou-se.

Mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.

És todo certeza, já não sabes sofrer.

E nada epseras de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?

Teus ombros suportam o mundo

e ele não pesa mais que a mão de uma criança.

(…)

Carlos Drummond de Andrade

(Sentimento do Mundo. In: Poesia e prosa (organizada pelo autor).

Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1988. Volume único.)

•••••••••

Eu esperava escrever algo completamente diferente para vocês, mas este texto explodiu dentro de minha cabeça quando eu li Drummond, há algumas semanas.

Abraços e até outubro.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

No Blues de um viajante

pipocado por Hítalo Rios às 1:57:00 PM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem

Toda aquela chuva caindo do lado de fora do ônibus fazia parecer que o mundo chorava e compreendia a dor dentro do coração de um homem. A viagem iria demorar e ele ainda teria muito tempo para pensar no quanto a vida tinha sido injusta até agora. O viajante da poltrona ao lado lia uma Bíblia e ao mesmo tempo ouvia blues aos fones de ouvido. Tinha um semblante de serenidade e uma transparência de alguém que compreendia os pesares da vida. Sentiu que não podia perder a oportunidade de conversar um pouco com essa pessoa. Todos os aspectos lhe forçavam a pensar que estava do lado de um sábio que talvez estivesse disposto a lhe ajudar, mesmo que fosse só com alguns conselhos e dicas.

- Er... com licença.

O viajante que lia a Bíblia e escutava música parou com as duas coisas e se virou para ele.

- Opa! Aconteceu alguma coisa?

O sorriso no rosto do viajante fazia dele a pessoa mais simpática do mundo. Isso o impulsionou mais ainda a perguntar o que queria perguntar.

- Na verdade não. Você parece ser um cara que lê muito a bíblia, não é?

- Sempre que viajo. E estou sempre viajando!

Os dois riram juntos.

- Então. Posso lhe fazer uma pergunta esquisita?

- Só se eu puder lhe dar uma resposta esquisita.

Não era só simpático, mas tinha um humor natural que fazia bem aos ouvidos dos outros.

- Passei por maus bocados na minha vida e sempre me pergunto isso, e nunca encontro respostas.

- O que você se pergunta?

- Me pergunto como Deus pode ser uma onipotência benevolente! Sabe. Eu entendo o conceito disso, mas parece haver uma contradição aí.

- Sim. A contradição é a dor. A fome, as guerras, as doenças...

- Exatamente! Coisas terríveis acontecem com as pessoas, e às vezes nem são essas coisas que você citou, mas muitas pessoas sofrem bastante por conta de seus sentimentos. E toda essa tragédia humana é como uma prova de que Deus não pode ser simultaneamente todo-poderoso e bem-intencionado.

O viajante abaixou um pouco a cabeça, parecendo pensar. Mas logo se voltou para ele.

- Você tem filhos?

- Um dia espero ter.

- Imagina se tivesse um filho de oito anos. Você o amaria, certo?

- Mas é claro!

- E faria tudo o que pudesse para evitar que ele sofresse na vida?

- Com certeza.

- E deixaria que ele andasse de skate?

Essa pergunta o intrigou, mas continuou seguindo o raciocínio do viajante.

- Acho que sim. Mas diria a ele para ter cuidado.

- Quer dizer que, como pai desse menino, você lhe daria uns bons conselhos básicos e deixa ria que saísse e cometesse seus próprios erros?

- Eu não ficaria correndo atrás dele para mimá-lo.

- E se ele caísse e relasse o joelho?

- Ele aprenderia a ser mais cuidadoso.

- Então quer dizer que, mesmo tendo o poder de interferir evitar que seu filho sentisse dor, você optaria por demonstrar seu amor deixando-o aprender suas próprias lições?

- Claro, a dor seria parte do seu crescimento. Só assim ele aprenderia.

- Exatamente.

sábado, 4 de setembro de 2010

pipocado por Lilian às 1:23:00 AM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem

O futuro a Deus pertence

(A verdade escondida por detrás do ditado popular)

Temos sonhos e planos. Temos desejos e vontades. Almejamos um alvo e então passamos a insistir nele. Se pararmos para pensar, vivemos mais o tempo futuro do que o presente. Como se pressionássemos o botão do piloto automático de nossas vidas constantemente. Um foco! O ser humano é atraído por focos. Especialmente a geração jovem. Focamos profissão. Focamos estudos. Focamos empregos. Focamos concursos. Focamos medalhas. Focamos viagens. Focamos namoro. Focamos casamentos. Focamos coisas e mais coisas. E assim, se temos um foco, logo traçamos um caminho para se chegar até ele. Não há nada de errado nisso, é justamente nessa fase da vida que tudo acontece. Que o seu caráter e a sua personalidade passam por transformações. Que suas maiores e principais decisões são tomadas. A questão é que tudo isso nos faz olhar o futuro, e deixarmos o presente de lado. Viva, corra atrás, faça acontecer. Deus te fez com o propósito de te ensinar a buscar conquistas e vitórias na vida, desde que estas agradem a Ele.

Foque coisas, almeje sonhos, faça planos. Acredite em você. Porém, uma coisa te digo: Nada disso tem valor se fizeres sozinho. Não entendeu? Vou explicar... traçar metas e objetivos é essencial na caminhada da vida. E quando eles são alcançados temos a sensação de missão cumprida misturada com alegria. Não há nada tão bom do que realizar sonhos. Agora melhor ainda é a sensação de realizar sonhos que desde o seu projeto foram cuidados e planejados por Deus. Certa vez li uma frase que dizia algo do tipo “Melhor do que sonhar e realizar nossos sonhos, é sonhar e viver os sonhos de Deus”. Em Provérbios 3 diz que devemos lembrar de Deus em tudo que fizermos, e Ele nos mostrará o caminho certo. Logo mais a frente, em Provérbios 16, essa palavra se testifica na citação de que o coração do homem pode fazer planos, mas é o Senhor quem dá a última palavra. E Ele faz isso por amor, porque sabe o que é melhor para nós. Porém, nosso Deus não é um Deus autoritário e possessivo. Ele não vai invadir sua vida sem sua permissão. Então, para que você desfrute da tranqüilidade de entregar seus sonhos nas mãos dEle é preciso que você se permita isso. É necessário deixá-Lo cuidar de Ti. Em outras palavras, é necessário desativar o piloto automático em troca de uma direção mais segura. A partir do momento que você permitir isso, acredite... o seu futuro estará em boas mãos. Ou melhor, nas melhores mãos. E quanto ao seu presente, este será melhor aproveitado por você mesmo.

Pense nisso, se o hoje não fosse uma dádiva, ele não receberia o nome de ‘presente’. O desejo do Pai para sua vida é que você aproveite o momento de agora da melhor forma a fim de que seu futuro seja agradável. Entregue o seu amanhã, pois são as decisões do hoje que farão diferença nele. Então nesse momento presente decida-se por confiar plenamente em Deus. Não vou te iludir dizendo que tudo será flores e calmaria, haverá provações e choro também. Mas pense pelo lado de que isso tudo é uma experiência com Deus. Que tudo faz parte de um tratamento e transformação do seu caráter para o futuro. Cada propósito de nossa vida faz parte de um propósito maior, de um plano maior. Um plano no qual só poderá se concretizar com a sua permissão em optar por deixar Deus agir. Não há necessidade de você ficar angustiado por coisas futuras, se sentindo perdido, ansioso e sem esperança. Essa preocupação não foi feita para você. Esse fardo não é necessariamente seu. Quando Deus diz , na Palavra, que troca o seu fardo pesado por um fardo leve... ele simplesmente quer dizer: “Meu filho, eu sou seu Pai e te amo. Descanse no cômodo da confiança, enquanto eu arquiteto a casa e trabalho na reconstrução dela”.

Hoje, no tempo presente e visando o tempo futuro, você tem duas escolhas: Ou confia no Mestre de obras ou tenta você mesmo encaixar os tijolos.

Por Lilian Fernandes Pires

p.s: Hoje faz 1 ano que posto aqui no Yoki! =D

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Quero ser feliz, quem não quer?

pipocado por Vitor Vieira às 5:43:00 PM
e então... 
0 comentários Links para esta postagem

O que agente faz da vida se não buscar a felicidade? Até hoje não achei ninguém que já não quis ser feliz. Muitos dizem que está na sua frente, outros, que está em cima de nossas cabeças, muitos outros, insistem que está em um baseado ou em um copo de cerveja. Não vou defender nem meter pau em nenhuma dessas idéias, tenho meus ideais como qualquer outro, não curto transforma-los em uma arma e duelar com alguém. Vo levando minha vida do jeito que da e fortalecendo os manos. Mas tá certo que ficar de boca fechada, olhando o cara acelerar para um buraco tá errado velho.

Sei que é difícil acreditar, mas esse mundo ainda vai mudar. Tava fugindo de política, mas nessa época é difícil. Situação é sinistra nessa parada, peço a Deus cara, que não entre um maluco aqui que ferre mais ainda o Brasil.

To um dia atrasado, mando uma desculpa ai a quem lê. Um abraço e espero que encontre a felicidade, não desiste não mano.

 

The New Yoki Times Copyright 2009 Reflection Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez | Blogger Templates