Siga-nos no twitter!

Pipocando boas ideias em 140 caracteres.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

We Are Golden

pipocado por Gabriela Leite às 8:58:00 PM
e então... 
7 comentários Links para esta postagem
30 de dezembro de 2009.


"Sonhos jovens em um circo adolescente
Quem se importa de que família você veio
Não é para desistir quando se está jovem e quer alguma coisa. Acordar em pleno meio dia ensolarado. O que fazer da vida? Você pode ver o que eu fiz. Encarando a emoção. Na luz do dia. Nós não somos o que você pensa que nós somos. Nós somos de ouro, nós somos de ouro."

E aqui estou eu, no penúltimo dia do ano (ou último post, se preferirem). Acredito eu que poucos lerão esse texto hoje, pois estamos na véspera de ano novo, e há toda aquela ansiedade e histeria para a virada, mas mesmo assim, vou fazer uma coisa boa (eu espero!). Hoje não escrevo para os que aqui visitam, e sim para os integrantes deste blog. Esses dias parei para pensar o quão interessante nós somos. Dezesseis cabeças pensantes que tem pensamentos diferentes em um mesmos lugar, com opiniões certas e erradas, feias e maravilhosas, engraçadas e depressivas, sem nexo e fundamentais e que acabam fazendo que isso se torne harmonioso. Quem poderia imaginar que um ateu que usa dois alargadores e um "moicano" faria parte do mesmo blog que um ex-super crente de cabelos encaracolados? Ou que uma menina bem pequena que cursa a primeira série do ensino médio exporia suas ideias no mesmo lugar que um físico? Ou que um cara de cabelos grandes, que usa cordão de chaveiros e beija baratas leria os textos de um pastor vascaíno recém-formado? Sim, tudo muito estranho, mas são essas coisas que fazem com que nós sejamos muito mais do que pensamos ser. É tão interessante o fato de um blog nos unir. Pessoas que não conversam muito acabam sendo quase íntimas ou pessoas de diferentes idades terem uma relação incrível umas com as outras. Nós somos mais do que os outros pensam que somos. Nós somos mais do que nós pensamos que somos. E não importa se nós não somos da mesma religião, se somos pretos ou brancos, se gostamos de animais, se temos cabelo grande ou nenhum. Não importa se temos 23 anos, ou 15. Muito menos se somos ricos ou pobres. O que importa de verdade é que temos uma capacidade incrível de ver o mundo de um jeito estranhamente diferente e que acaba afetando o próximo.

Agradeço desde já por fazer parte desta equipe que me dá orgulho a cada pipocada.

FELIZ ANO NOVO E MUITAS PIPOCAS PRO ANO QUE VEM!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

28 de Dezembro

pipocado por Pércio Faria Rios às 6:09:00 PM
e então... 
3 comentários Links para esta postagem
29 de Dezembro de 2009.



Havia uma ideia. Estranha. Mas aproveitável. O que se vê aqui não é uma colagem de fatos históricos relacionados ao dia 28, muito menos uma homenagenzinha à data. Só não queria um título que deixasse a postagem com cara de tese de mestrado: A importância dos supérfluos e dos intervalos mediante à valorização do que é inútil e imperfeito nas relações sociais brasileiras e/ou mundiais. Isso espanta leitor. Acaba com a credibilidade de um blog moderninho.

Final de dezembro é assim: Natal, Jesus, Papai Noel; Virada de ano, retrospectivas, Sidra Cereser... E a gente acaba dividindo as coisas entre os extremos importantes e o resto, que a gente quer que passe rápido. Dia 25 é o Natal, dia 26 alguém escreve algo sobre o Natal. Dia 31 é a virada de ano, dia 30 alguém escreve algo sobre virada de ano. No dia 28 não existe absolutamente nada sobre o que se falar, é um muro. Não há nada a dizer sobre um muro, a não ser que ele tenha caído há 20 anos.
Não sei se é algum tipo de distúrbio ou apenas uma peculiaridade, mas tenho paixão por quase tudo por que não se pode ter paixão. Algo que Lenine descreve perfeitamente em uma de suas canções: “Eu gosto é do inacabado, o imperfeito, o estragado (...) Namorar o zero e o não, escrever tudo o que desprezo e desprezar tudo o que acredito (...) Eu persigo o que falta, não o que sobra.” É como um anti-pragmatismo, gosto de coisas que não tem fundamento algum, que não me dão garantia alguma de retorno. 
Outro sujeito que traduziu bem a ideia do dia 28 foi o escritor, pensador e pastor, Ricardo Gondim. Segundo ele, “A vida não pode consistir apenas de coisas essenciais. Para existirmos, é preciso também aprender a valorizar algumas extravagâncias, geralmente consideradas desnecessárias. (...) não se pode comparar os seres humanos a abelhas. O ócio, o lazer, a descontração fazem parte igualmente do viver e não são meros intervalos de descanso que só preparam a próxima tarefa.”
A partir daí vem ideia de darmos valor ao dia 28, aos cantores de boteco, ao chocolate fora da páscoa, à xícara de café numa manhã difícil de acordar, enfim, ao presente. É o que acontece, todos os textos rodam e rodam até chegarmos a este ponto comum: sejamos felizes, valorizemos o presente e aquela coisa toda. Esqueça a ansiedade sobre o futuro, Carpe Diem, blá, blá, blá. É o que fazemos; nós, os inúteis nesse gigante universo de Padim Padi Ciço. Obrigado por chegarem até aqui e valorizarem este supérfluo, esta imperfeição, este intervalo.

PS.: Quer algo mais estragado que um texto sobre o dia 28 postado no dia 29? #fail 



sábado, 26 de dezembro de 2009

F.R.I.E.N.D.S.

pipocado por Lucas Lindão às 1:33:00 AM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem
26 de dezembro de 2009.


Meus amigos e não amigos, o Natal acabou! São 1h da madrugada do dia 26 e já estou escrevendo o meu post, conversando com algumas pessoas legais e não-legais no Msn.
Natal! A época mais esperada do ano! Ou não. Acho que é a época que eu mais como! O engraçado é que toda vez que eu falo pro meu pai comprar Chocotone, ele compra Panetone! É incrível! Tem um na cozinha, e ninguém chegou perto! O dia hoje foi legal, pela manhã confraternizei com a família, e aquela coisa toda, à tarde entrei na internet e dormi um pouco, e à noite foi legal, eu saí com o pessoal, e o Pércio desejou um "Feliz" término de Natal pros Mendigos lá, e foi bem legal, mesmo!
Quero falar de uma coisa que me chamou atenção, sei lá. Uma frase que eu vi em um Orkut, e que me deu vontade de falar aqui: "Personalidades estão em atitudes, não em textos". Entendam o que quiserem sobre isso. Mas simplesmente eu quero falar é que a gente escreve sobre o que devemos e não fazemos fazer, sobre política, enfim, uma série de coisas. Mas sei lá, a gente não faz a maioria das coisas que a gente pensa, ou escreve. Não vim aqui pra falar pra gente simplesmente fazer o que escrevemos e tal. Mas pelo menos pensar sobre o assunto, ou tentar fazer, à medida do possível. Não sei se me entenderam, mas é isso aí.
"Natal hoje significa comprar Natal loja ou Natal liquidação; e nos outros 364 não se investe Natal amizade ou Natal verdade de amor". @PfariaR
Eu não ia falar nada sobre o Natal. Mas fiquem com essa ideia aí.
2010 está chegando! PIKERO! UMBAMBARÊBAMÔBÔBÊBÁ! TEPTEPTEPTEPTEP! UMBRECO UMBRECO UMBRECO!

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Tenho nada para falar

pipocado por Fábio Bruno às 12:00:00 AM
e então... 
9 comentários Links para esta postagem
24 de dezembro de 2009.



Estava refletindo olhando a parede e me indaguei: o que será tudo e o que será nada? Quando um copo está sem algum líquido dentro de si ele está vazio, não tem nada ali. Porém, tem sim: ar, bactérias talvez e até CO2. Esse nada está se referindo à presença ou não de unidades quantitativas de substâncias aquosas. Quando se diz em não pensar em nada, é uma farsa, pois nossa mente nunca não pensa em alguma coisa, ela apenas fica desfocada em um determinado assunto. Então esse nada se refere a pensar em algo objetivo e definidamente. Se o nada é relativo, o tudo também é. Só que a concepção de tudo nunca pode ser usada. Por exemplo, existem infinitas maneiras de se fazer uma música, só que tem aqueles que dizem já ter ouvido de tudo. Se pensarmos numa sala vazia, não tem nada nela; mas se "tiver" nada nela, então nem teria sala. Quando Deus criou as coisinhas na Terra, ela era vazia, não tinha nada nela. Se não tinha nada, então não tinha Terra; e se não tinha Terra, Deus criou tudo a partir do nada. E mais: se ainda podemos criar músicas novas, então Deus não criou tudo, ou talvez até tenha criado apenas o nada?

Conclusão: não existe o nada e nem o tudo, o que existe são coisas (aí poderia entrar em outra história) que são incompletas ou sustentáveis.

E falando em Deus, amanhã não é aniversário de Jesus? Pois é, eu poderia ter falado sobre ele, mas se isso fosse tão importante assim, vocês teriam lembrado dele antes de eu escrever "tudo" isso.

domingo, 20 de dezembro de 2009

2012

pipocado por Unknown às 12:01:00 AM
e então... 
37 comentários Links para esta postagem
20 de dezembro de 2009.


Com essa polêmica de o mundo acabar novamente, quem não fica com a língua coçando para dar seu pitaco?


O apocalipse está de volta às mídias, na boca do povo e até nas telas do cinema. O próprio filme 2012 relata a destruição total da Terra, além disso, mostra a luta pela sobrevivência dos humanos. Isso é um pouco cômico, pois tantos falam nisso, tantos se apavoram e nos filmes os humanos sobrevivem. Não, eles não sobrevivem! Isso é cômico exatamente por todos temerem ou divulgarem o calendário Maia, o fenômeno de 2012, que é um conjunto de crenças e teorias postulando que eventos catastróficos ou de transformação podem ocorrer no ano de 2012. A previsão é baseada principalmente no que se diz ser a data final do Calendário de Contagem Longa Mesoamericano, que possui ciclos de 5.125 anos e encerra-se no dia 21 ou 23 de dezembro de 2012. Especularem o fim do mundo por causa da mitologia Maia é bizarro. Isso é mitologia! Não significa que, por não haver mais dias no calendário, não haverá mais seres humanos na Terra.

Em 1999, eu me lembro desse dia, o mundo ia acabar. Morri de medo, mas esperei por aquele 11 de agosto. Segundo o coitado do Nostradamus, isso realmente ia acontecer nessa data e o mundo tremeu de medo. Mas todos saíram ilesos daquele dia.

O ano 2000 aproximou-se assombrando todos. Diziam que o fim chegaria naquele ano de acordo com os teóricos do livro de Apocalipse, "o juízo final 2000 anos após a morte de Cristo". Mas o mundo não acabou e explicaram dizendo que era após a morte de Cristo, ou seja, em 2033. E aí vamos nós de novo. Mas, segundo a Wikipédia e outros sites sobre o assunto, dizem que "pelo menos a ideia de um evento mundial que ocorreria em 2012, baseado em qualquer tipo de interpretação do calendário de contagem longa, é rejeitada e considerada como pseudociência pela comunidade científica internacional".

A questão não é se o mundo vai acabar ou não. Afinal, e daí se acabar? O homem já conseguiu pisar na lua, já inventou o clone, a tecnologia 3G, está descongelando o pólo norte e faz bombas capazes de destruírem uma cidade, sem se preocuparem com os velhinhos, mulheres grávidas e crianças. Por que se preocupar agora com o apocalipse? Seria apenas a própria natureza retribuindo aos humanos.

Basta cada época com seu anticristo, como Hitler e Bin Laden. Talvez não seja literalmente bíblico o fim, talvez estejamos sofrendo o apocalipse aos poucos, e um dia poderá chegar o clímax de tudo, encerrando a vida na Terra, mas não de acordo com os Maias.

As preocupações quanto a esse assunto é exatamente por ninguém saber se vai ou não acontecer, ou se há um Deus regendo tudo isso ou não. Essa é a pulga que fica atrás da orelha de muitos.

Cabe a cada um pensar, se o fim realmente estiver próximo, se está satisfeito com o sentido de estar vivo. Caso a resposta for sim, é só assistir o apocalipse de camarote.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Férias

pipocado por Neto às 4:54:00 PM
e então... 
7 comentários Links para esta postagem
Depois de um ano cansativo de estudos, chegamos felizes mais uma vez ao fim do ano. Época esta que estamos cansados, mas em ritmo de festa, estamos preparando as malas pra mais um verão inesquecível, estamos ansiosos pra noite de natal.
Essa época do ano pra alguns é mais cansativa devido o vestibular, pra outros, como eu é, mais tranquila, pra outros tristeza (ou alegria) por terem que deixar sua cidade pra fazer faculdade em algum outro lugar. Acredito que essa seja assim como os congressos a época mais esperada do ano.
Cada fim de ano uma coisa nova, uma nova desculpa do seu pai pra não te dar o presente que quer ganhar no natal, uma amizade nova, novos projetos para o ano que se aproxima, enfim como aquelas propagandas chatas de fim de ano da Globo “ANO NOVO, VIDA NOVA”. Engraçado que minha mãe sempre me dizia “aproveita enquanto é tempo”, e eu nunca levava essa frase muito a sério. Mas agora vejo que realmente aquilo que minha mãe falava era sério e que eu deveria tirar maior proveito de tudo àquilo que a vida me proporcionava naquele momento.
Vocês devem esta se perguntando “aonde o Netto ta querendo chegar com esse papo furado”. Bom galera, como todo texto meu tem que ter um final feliz ou reflexivo:
Gente, a parada é o seguinte, aproveitem o máximo que vocês puderem nessas férias, aproveitem essas novas amizades que estão surgindo por ai, aproveitem aquela mulherzinha que te deu mole lá na praia (usem camisinha).




Esse é meu último texto aqui esse ano (é óbvio). Acredito que ano que vem o blog vai estar de cara nova com novos integrantes. (Laís Brum é a mais nova na área, e pelo visto já começou mandando muito bem).

Ah galera, vale lembra que agora um de nossos escritores é pastor, dia 12 foi formatura do nosso amigo Elvino Pinheiro, espero que ele não venha com aquele papo de pastor nos próximos textos.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Espelho, espelho meu

pipocado por Laís Brum às 9:51:00 AM
e então... 
6 comentários Links para esta postagem
16 de dezembro de 2009.


Oi gente, o dia que está escrito anteriormente corresponde a minha estréia aqui e na verdade, nem estou aqui. Neste momento estou em Juiz de Fora, dependendo da hora em que o Netto postou pra mim, dormindo, estudando ou fazendo a segunda etapa do vestibular seriado da UFJF. Mas dei meus pulos pra cumprir meu dia (a ansiedade por ele chegar me fez fazer este texto hoje, dia 01 de dezembro). Sempre passeava por aqui e agora também estou no barco, pois é, estou feliz e espero me encaixar.

Ê ano egoísta esse 2009 não?!

A crise financeira norte-americana não se satisfez até alastrar-se por todo o mundo, a gripe suína não quis ficar só no México, a chuva não se conteve em arrasar apenas São Paulo, o secretário do GDF não deixou Arruda ficar sozinho com o dinheiro, e nem a Dercy quis ficar sem celebridades no túmulo...

E nós? Aposto que guardamos sorrisos que poderiam ser presenteados por aê, fingimos não ver um idoso no ônibus pra não ter que levantar, ou omitimos ajuda a alguém pra não ter que sair do cômodo estado de estagnação, escolhemos o pedaço maior ou o copo mais cheio, entre outros inúmeros atos egoístas que serão cobrados ou trocados um dia...

Pode estar tudo bem pra gente e nem tão bem pro outro, mas o que isso importa agora? Há milhões de crianças morrendo de fome na África, mas eu tenho comida em casa, então está bom.

É assim com a maioria e vai continuar sendo até o mundo dar uma volta e nós sermos a bola da vez, até a situação ruim, ser a nossa situação. Espero que não façamos promessas pra só em janeiro de 2010, mas que amanhã, sejamos melhor do que hoje e mais cordiais, e mais pacíficos, e mais honestos, e mais sensíveis, com mais amor. Não é nenhum tipo de apelo ideológico, mas só um pedido para uma melhor preservação da raça humana que faz questão de se destruir...

"Ame o próximo, como a ti mesmo", e sempre “há um jeito de ser bom de novo”.

No espetáculo da vida, vamos tentar dividir o palco ;)

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Folie à deux

pipocado por Diego Augusto às 11:00:00 AM
e então... 
4 comentários Links para esta postagem

terça-feira, 15 de dezembro


Hoje vou deixar um pouco de lado a vida, o Universo e tudo mais – só me interessa você. Se me dá licença, vamos passear pela sua mente. Pode me dar a sua mão? Pronto, estamos dentro e agora vamos descer as escadas para chegar ao porão de seus pensamentos. Cuidado com os ratos pelos caminho, desvie seu olhar tanto dos monstros quanto das sereias deste lugar soturno, eles não interessam por hoje. Se quiser voltar, tudo bem; se não, pode apertar minha mão quando sentir medo. Eu quero lhe mostrar algo.

Vamos andar mais um pouco adentro e abaixo. Já estamos chegando. Veja aquela luz, ainda tímida, vamos segui-la. Interessante como sempre é o mesmo caminho, interessante como todos deixam aquela porta na parte menos visitada de suas mentes. Interessante como o brilho da porta sempre é lindo. Aí está ela, um oásis no deserto; a partir daqui, você vai sozinho.

Não se preocupe comigo, eu conheço o caminho de volta e os fantasmas de sua mente não podem me ver. Na verdade, eu vou poder entrar quando você abri-la, mas eu ficaria meio constrangido lá dentro. De qualquer modo, eu sei o que existe atrás da porta e vou lhe dizer antes de partir. Você vai entrar em um quarto, não humilde, mas simples. À esquerda há um armário com todo seu estoque de vida e data de validade, completamente ilegível. À direita, uma enorme estante com alguns poucos livros, que representam seu conhecimento. Há também uma mesa de centro, e sobre ela um álbum fotográfico e um diário, mas tome muito cuidado se quiser folheá-los. Ao fundo do quarto, os quadros das pessoas que você ama destacam-se na parede branca, e abaixo deles, dormindo numa esteira de palha, está você.

Raquítico e com frio, mas com o sorriso mais lindo que pode dar. Isso porque está sonhando o que você teme sonhar. Isso porque ele não deixou de lado todas as suas loucuras, todos os seus devaneios que o fariam feliz, que fariam felizes as pessoas que você ama. Isso porque ele ainda espera pelo dia em que vai finalmente poder contagiar o mundo inteiro com toda essa loucura apaixonante, vai poder mostrar o caminho para amarem seus ideais justamente porque os ama e não sente vergonha disso. Isso porque ele sabe que você está… bom, que você está louco para soltá-lo, cuidar dele e finalmente deixá-lo guiar suas ações.

Acredite, toda sua loucura contagia.


•••••••••

Molho Shoyu - papos esquisofrênicos




sábado, 12 de dezembro de 2009

Mude e salve

pipocado por Padilha²² às 4:20:00 PM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem

Bom... depois de mt tempo longe daqui e dos blogs tenho que voltar né... Hehehe...

12/12/09 - 16:21 nem sei muito o que falar mas quero falar sobre mudanças... assim como o Richarlyson mudou seu visual eu quero mudar novamente o que eu quero fazer na faculdade... bom... assim como Richarlyson ele por dentro é uma coisa...e estava querendo ser outra por fora tbm... bom... eu gosto da natureza e tals.. e pretendia fazer alguma coisa relacionada com computadores.. bahh.. nem tem nada a ver comigo... então agora decidi mesmo fazer engenharia ambiental, pois quero salvar o mundo de alguma forma.

Falando em salvar o mundo... acho que todos deveriamos... não queria que o mundo sofresse mais para as pessoas verem que estamos realmente destruindo o mundo... na verdade não estamos destruindo o mundo... mas estamos destruindo nós mesmo... e não vai ser Jesus nem deus-zebu que vai nos tirar daqui e nos salvar... do jeito que tudo está indo... não vai dar nem tempo de vir o arrebatamento como muitos dizem... bom... Salvem nós mesmos.. façam suas partes... eu já limpo o cocô da minha cachorra... limpo com pázinha para não gastar mt agua... escovo os dentes junto do banho... eu não faço isso... mas vc poderia até escovar os dentes com a agua da descarga... ér... não vai fazer mal...

Bahh... eu iria mandar um rap aqui hj sobre o blog... mas vo deixar para a próxima...
Abração... sei que ficou mt ruim... mas depois de amanhã terão algo melhor para ler.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Em Brasília, dezenove horas

pipocado por A. às 12:42:00 PM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem
10 de dezembro de 2009.


Vejo muita televisão. O que passa na televisão e não consigo ver, acabo vendo na internet. É para isso que existe Youtube e aqueles maravilhosos sites ilícitos (não estou falando de pornografia) que me ajudam acompanhar seriados que não posso assistir normalmente. Sobre internet? Sou viciada no Google, Kibeloco, Tutty Vasques, dou uma fuçada no twitter dos outros, no blog alheio e sim: gracias Wikipédia! Afinal, tem ou não acento no Wikipedia?

Jornal, útil não apenas para quando meu cachorro era pequeno e tínhamos que ensina-lo a fazer as necessidades em um lugar só. Escuto rádio com frequência pela manhã (não apenas músicas). Uso o telefone freneticamente. Vou ao cinema sozinha e me sinto em outro mundo.

Se fosse trabalhar em algo que me desse êxtase, trabalharia em um jornal. Seria colunista talvez. Crítica de alguma coisa. Criticaria críticos! Escreveria para as pessoas. Sim, sou completamente apaixonada pela mídia. Conheço seus prós e seus contras. Sei como eles usam a psicologia para manipular, conseguem filmar uma rua e faz você acreditar que a cidade está completamente em ruínas. Se quisessem, poderiam conseguir abafar uma revolta e ninguém na sua casa notaria. Mas sem ela, só saberíamos da independência do Brasil por pombo correio. Os escravos estariam trabalhando enquanto sentados esperaríamos alguém vir à cavalo nos contar as boas novas.

Já elegemos um presidente pela ajuda da mídia - vai me dizer que não se lembra do Collor? E acredito que os alagoanos que o elegeram para senador deveriam ler jornais ou pesquisar na internet algo com a palavra-chave: político deposto. Getúlio Vargas usou a rádio criando a "Hora do Brasil", que conhecemos hoje como "Voz do Brasil", aquele cara que fala o tempo todo e nos impede de escutar nossa música preferida dentro do engarrafamento na hora do rush.

Existem inutilidades, futilidades. Existem também fontes indispensáveis de notícias, entretenimento (seja para seriados sobre insetos nojentos ou noites com pianistas cegos). Existem coisas completamente manipuladas e a informação simples (contando que somos capazes de não ficar presos apenas ao nosso bom Jornal Nacional e contando que o Willian Bonner vale realmente a pena). E sim, "para cada Marília Gabriela, criamos trinta e quatro Zinas", o que significa que precisamos da mídia até para entender as piadas do excelente texto do Elvino e concordar no final de tudo que "A Fazenda" é um bom motivo para desistir do homem. Esperaremos o Apocalipse sendo noticiado na tv e morreremos de rir com as piadinhas do CQC nosso de todas as segundas.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Desisto!

pipocado por Elvino Pinheiro às 9:06:00 AM
e então... 
6 comentários Links para esta postagem
08 de dezembro de 2009.


Utilizando a expressão do presidente Lula, nunca na história deste país (e porque não dizer, da humanidade), as pessoas de bem se sentiram tão humilhadas. Não há porque ter esperança no homem, e não faltam motivos para isso. Tudo bem que inventamos coisas incríveis, mas nossa passagem no planeta não tem sido necessariamente um sucesso. Para cada Martin Luther King, criamos dezoito Hitller; para cada Marília Gabriela, criamos trinta e quatro Zinas. Inventamos soluções para as doenças que mais nocivas, porém somos insensíveis com os que morrem de fome. Criamos telefones que funcionam como computadores, gps, mp3 players (e às vezes telefones), e ainda temos problemas com a coriza nasal. E olha que eu nem falei do terrorismo e de "A Fazenda". Sinceramente, desisto do homem.

Não creio na regeneração humana. Ela não virá pela religião, que se transformou num negócio, como os outros. A ideia de pessoas agradecendo a Deus pelo dinheiro da corrupção é um ultraje ao próprio Deus. Pensei então na descrença, mas não crer em nada é uma bobagem de proporções gigantescas. Desde que se transformou medida de todas as coisas, o homem apenas acelerou seu processo de destruição. A regeneração não virá nem com a revolução, com caras pintadas e discursos ideológicos. Ana Clara havia me falado em extraterrestres que viriam e mudariam nosso cérebro, porém acho que eles não existem, e se existirem, penso que seria mais coerente eles nos destruírem e ficarem com nosso planeta. Ela ainda veio com um papo sobre mudança de mente-mudança de ambiente-mudança de hábito, mas é tão ridículo que nem vale a pena explicar. Não devo levar em consideração tudo que a Ana Clara diz.

Minha última esperança seria o Grêmio, no último domingo. Vencer o Flamengo, ajudando seu arquirrival a ser campeão seria uma prova de altruísmo e caráter, que redimiria toda a humanidade, e daria esperanças às gerações futuras. O Grêmio daria provas de superioridade moral, e que há um jeito de ser bom de novo. Porém, o que vimos foi o contrário. Alguém entendeu o zagueiro gaúcho tocando a bola para fora, sem nexo algum? O Ronaldo Angelim aparecendo sozinho para cabecear? Aquele atleta que me perde o gol com o Bruno caído? Ou então aquele cidadão, entrando em campo, dizendo pra ninguém mais chutar ao gol?

O Grêmio frustrou todas as minhas expectativas, aumentando o nível de meu ceticismo terminal e anulou todas as minhas esperanças na humanidade. Me resta agora esperar o Apocalipse.

domingo, 6 de dezembro de 2009

Um motivo pra escrever.

pipocado por Hítalo Rios às 1:32:00 PM
e então... 
11 comentários Links para esta postagem
Hoje me bate algo bonito no peito. Algo que me força a mostrar meu dente quebrado em algumas risadas sinceras. Algo que vem de pura conseqüência das pessoas que me querem bem. Amigos verdadeiros. Amigos que vão sempre ser amigos, independente da minha camisa preta ou branca. Amigos que estarão na direita e na esquerda, pra sempre ouvir, ou sempre falar, ou apenas compartilhar um silencio. Amigos que quando forem, vão levar um pedaço de mim, dentro da cada sorriso das lembranças de uma “parceragem” que será eterna!

Obrigado por participarem da minha história!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Marcas do que se foi, sonhos que vamos ter!

pipocado por Lilian às 1:48:00 PM
e então... 
3 comentários Links para esta postagem
Eis que chega dezembro. E junto com ele vem a sensação de mais uma etapa de nossas vidas que se encerra com um ano prestes a findar, soando um eco de missão cumprida. É nesse momento que se para e olha para trás numa tentativa de juntar as peças de um quebra-cabeça chamado 'o ano que se viveu'. Logo, instantaneamente, a memória traz à tona as coisas mais marcantes que se decorreram e ficaram cicatrizadas em forma de lembranças. São os momentos únicos e surpreendentes que se congelam a fim de serem registrados, ou até quem sabe, numa expectativa de serem revividos numa intensidade similar ou diferente. São pessoas já conhecidas que permaneceram e compartilharam mais um ano ao nosso lado. Assim como aqueles que, ao passar dos 12 meses, surgiram em nossa vida trazendo algo novo. A verdade é não há como se recordar do ano que se passou sem dar importância, valor e sentido à aqueles que foram responsáveis por dividir ou proporcionar tais momentos únicos e surpreendentes, sejam eles bons (alegrando-nos) ou ruins (ensinando-nos). Talvez alguns não tenham esse ponto de vista quanto a dezembro, natal, fim de ano e afins. Mas a verdade é que esta época, se analisada com profundidade e otimismo, esconde uma essência e um diferencial.

Enfim, o ano se encerra dando lugar a outro. Fase em que entregamos os pontos, lipamos a alma e o coração, refazemos os planos e renovamos as expectativas. Época em que um filme se passa em nossas mentes, numa forma de retrospectiva, junto as lembranças de um ano que passou e as esperanças para o próximo que virá. Para trás ficam-se os momentos de alegria, as lágrimas, as despedidas, as conquistas, as trajetórias... tudo o que se tornará inesquecível, para que assim possam se repetir nos próximos 12 meses que nos aguardam ansiosos. É nada mais que um ciclo que há de se repetir em outros 365 dias de modo diferente e impactante o bastante para não ser desperdiçado. E assim, o que fica de 2009 dá o ponto de partida para 2010, fazendo com que as experiências de antes dêem lugar aos projetos futuros.
 

The New Yoki Times Copyright 2009 Reflection Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez | Blogger Templates