Siga-nos no twitter!

Pipocando boas ideias em 140 caracteres.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

Baby Blue Template

Just like its name, this template is so cute. Suitable for your lovely baby blog. With pink and blue color, soft and smooth. Download it now.

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Ladrão que rouba ladrão

pipocado por Pércio Faria Rios às 7:52:00 PM
e então... 
5 comentários Links para esta postagem
 30 de Novembro de 2009.



“Eis é tudo ladrão, tudo ladrão!” parece que é uma espécie de chavão que o brasileiro, de forma geral, tem usado para tentar abrir todos os portões relacionados à política nacional. Descartando-se o caráter generalizante da frase, que nem é o mais lamentável, fica na cara seu uso como um tapa-buraco, para todo o enorme desinteresse pelas questões realmente políticas. (Por favor, não pense agora; ou perceberá que acabei de fazer uma generalização e usá-la para tapar o buraco do meu parágrafo introdutório)
Nesse mês, lendo o blog do Fábio Campana, abri um sorriso e cerrei as sobrancelhas diante de uma notícia boa e outra má. A má é que o Brasil emergente, com mais de 180 milhões de habitantes, dois mega-eventos esportivos mundiais a caminho e uma posição privilegiada no ranking da FIFA, ocupa apenas o 75º lugar numa lista que mediu o nível de corrupção de 180 países (quanto maior fosse o nível de corrupção, menor a nota; a nossa foi 3,7 numa escala de 1 a 10). A boa é que no ano passado éramos o 80º.
Longe de mim, querer dizer que todo brasileiro precisa se interessar por política para saber quem faz essa corrupção; pra saber quem desvia seu dinheiro e quem investe no seu futuro; ou no seu presente, se preferir. O que quero dizer é que é muito cômodo ser uma vítima do governo. E uma espécie de vítima-comparsa, já que foram as mesmas que puseram o governo onde está.
Quero dizer com toda essa ladainha que, na verdade, a corrupção começa das bases. Do aluno que cola, do funcionário público bate-cartão, do esportista espertão, da vendedora do Polishop, do cartola mala branca, mala preta, do policial com baixos salários etc. _Pércio, seus exemplos são tão idiotas quanto você! _Sim, mas e daí?!  Falo de um povo corrupto que faz políticos corruptos, e com o mínimo de sensibilidade, percebemos que não haveria como ser diferente. Quem é fiel no pouco é fiel no muito; e o contrário, de igual forma, é válido.
É claro que ainda não somos a Somália e há uma centena de países com índices piores que os nossos, mas empatar com Colômbia, Peru e Suriname não deixa o Brasil assim tão bem na foto. Como disse um amigo meu de longa data: Faça sua corrupção! Se quiser continuar reclamando dos ladrões, à vontade, eis é tudo ladrão mesmo; eles somem com seus impostos e com sua luz. Ainda não me lembro de ter lido em algum lugar que corruptos não podem reclamar de outros corruptos. Seja bem-vindo à trupe! Mas eles ainda têm cem anos de perdão...









sábado, 28 de novembro de 2009

All Night Long

pipocado por Gabriela Leite às 12:27:00 PM
e então... 
5 comentários Links para esta postagem

Ele se deixa enganar, achando que talvez essa seja a melhor solução. Se revira na cama, mas não encontra nenhuma posição que o satisfaça. Levanta, lava o rosto e então decide tomar um banho gelado. Deita na cama novamente, se senta e acaba ficando de pé. Da três voltas sem perspectiva no quarto e então desce as escadas, olha ao redor e percebe que ali é só mais um espaço vazio cheio de coisas. Abre e fecha a geladeira cinco vezes e por fim mais uma vez. Abre o freezer e sente um sopro gélido no rosto, procura algo, mas só encontra duas formas de gelo e um pote de sorvete de flocos meio vazio, a essa altura não está com otimismo o suficiente para pensar que o pote está meio cheio.

Sobe as escadas e então resolve se despir. Abre as janelas e anda nu naturalmente pela casa sem se preocupar, já que confiava no seu ego e sabia que a vizinha não vai ficar espiando, até porque eram 03h38min, mas quem se importava. Liga e desliga a televisão incontáveis vezes com os olhos fechados, então para e vê em que estado a mesma se encontra. Fica ali por alguns minutos sem prestar muita atenção, desliga e então se levanta. Segundos se passam e ele percebe o quão assustador o barulho do silêncio é, mas isso não o incomoda.

Parado ali visualiza o telefone e então resolve ligar para o sexphone. Nunca havia feito isso antes, queria ver como era. Uma mulher de voz sensual atente e começa a dizer coisas, mas ele vê que seu ego continua o mesmo e então desliga, deixando a mulher do outro lado da linha tirar suas próprias conclusões.

Deita na cama e alguns minutos depois adormece. Pela manhã, acorda e vê pelo seu rádio relógio que já se atrasara trinta minutos, se arruma o mais rápido que pode e no caminho compra um cappuccino com leite duplo e creme. Corre para pegar o metrô. Com a cabeça encostada na janela percebe que a culpa não passará, mas que a noite foi boa.


P.S O vídeo postado não tem relação nenhuma com o texto.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Ócio: a maior das ocupações

pipocado por Fábio Bruno às 2:05:00 PM
e então... 
3 comentários Links para esta postagem
Quando paro para analisar sobre tudo, chego a conclusão que de nada vale a pena. Pessoas falam para não perder tempo em frente a televisão, perder tempo pensando na desgraça do outro, perder tempo festejando e literalmente perder tempo jogando The Sims. Se eu não "perder" tempo e for estudar, por exemplo, no final das contas vai ser um tempo perdido do mesmo jeito. Se eu parar de brincar e lutar por uma causa nobre, dando certo ou não será perda de tempo.
Falam que cigarro mata, e daí? Quem disse que eu sou eterno? Posso não fumar e morrer atropelado ou morrer envenenado por uma Dendrobatidae qualquer.
Produzindo alguma coisa ou sendo improdutível, vamos todos para o mesmo lugar (ou não, né?).

Talvez seja meio contraditório esse texto, porque quem estiver lendo estará procurando algo de interressante e cativante, e estou falando sobre como as coisas são irrelevantes, mas se não fosse assim o primeiro casal na Terra seria de homossexuais.

Assim termino o que nunca vai se findar, a busca para ocupar a mente que na verdade está cansada de ficar desocupada com o resto.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Au revoir

pipocado por legscomplainig às 5:01:00 PM
e então... 
2 comentários Links para esta postagem
Oi! Bom, o Elvino conseguiu me deixar com a consciência pesada com toda a sua gentileza, e eu percebi que precisava dar uma satisfação antes de abandonar vocês! O negócio é que esse sábado, dia 28 de Novembro, eu estou indo passar alguns dias em Juiz de Fora, pra fazer um curso preparatório pra primeira fase do vestibular seriado de lá. Postar aqui em Itaperuna já era difícil pra mim, porque como eu já estou cansada de falar pra vocês e de repetir isso pra mim mesma, os textos de vocês são maravilhosos, e eu me sinto pressionada a tentar fazer algo legal, o que me consome bastante, considerando que não tenho habilidade pra escrever; então, tirar "10 minutinhos" numa lan house seria de fato impossível, porque em 10 minutos eu nem escrevo esse textinho de despedida, quanto mais um texto para o New Yoki Times (que impacto esse nome causa, hahaha). Então, só quero que vocês saibam que eu acho todos vocês muito legais e excêntricos, diferentes de qualquer amigo que eu já tive, e além de tudo, extremamente inteligentes! Que vocês continuem aqui, porque quando eu puder, vou voltar - e tentar ser menos exigente comigo mesma. Beijinhos e boa sorte com o blog!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Natalidade

pipocado por Neto às 12:14:00 PM
e então... 
14 comentários Links para esta postagem
O assunto de hoje não é nada tão novo como também não é nada tão velho.
Este bimestre estamos estudando natalidade e mortalidade nas aulas de geografia, um assunto que antes eu não levava muito a serio, não depois de ter lido uma entrevista com o saudoso Dr. Drauzio Varella.
Hoje esse problema é grande no Brasil, são famílias desestruturadas sem planejamento familiar, os pais se separam deixam quatro filhos no mínimo para mulher cria. A mulher mora na favela, tem quatro ou cinco filhos, tem que trabalhar... Quem cuida dessas crianças? Aí vão os moleques fazer malabarismo no sinal. Tá na cara que esse alto índice de natalidade tem ligação com a violência. Mas não se pode falar. As pessoas que chegam a uma posição em que podem tocar nesse tema se calam, porque é mais cômodo.
Alem de varias propagandas sobre anticoncepcionais, preservativos a população tem que se conscientizar do problema. Não tem cabimento dar orientação sexual para uma menina de classe média, dar acesso aos métodos anticoncepcionais quando começa a vida sexual, e para a que nasce na favela não dar orientação, nem acesso a anticoncepcionais. Ela já vive na favela, em condições precárias, e ainda vai ter filho aos 14 anos? Qual a chance dessa criança?
Não podemos aqui criticar os políticos.
No ano passado o secretário de saúde do Rio lançou um programa de distribuição por correio de anticoncepcionais para menores cadastradas, mas o prefeito vetou após protestos, entre o povo da Igreja Católica.
Como você quer que uma mulher não engravide se não a conhecimentos e métodos da parte dela para evitar a gravidez?
Dizem que a menina da favela engravida porque não presta, quer começar a vida sexual com 14 anos. A de classe média também não começa? Aí se manifesta o verdadeiro preconceito sexual contra os pobres: a menina grávida na favela é sem-vergonha; a de classe média que sai cada noite com um namorado, mas toma pílula, é de família.

sábado, 14 de novembro de 2009

Gênese

pipocado por Diego Augusto às 2:29:00 AM
e então... 
5 comentários Links para esta postagem

Sábado, 14 de novembro de 2009


Eram dias nublados no Éden. Adão estava doido para ter um cinto por perto, mas precisou se virar com as palavras mesmo:

- Como pôde matar Abel? Isso não tem desculpas, mocinho! Sua mãe e eu estamos muito tristes com você, Caim. Você precisa pensar mais nos seus atos, refletir sobre toda essa inveja. VÁ AGORA MESMO PARA O SEU QUARTO!

Nascia a propriedade privada.

•••••••••

No próximo episódio da série, vamos falar sobre o nascimento da língua inglesa em O Simple Past e as 10 Pestes do Egito. Até lá! ;)

.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Do concreto ao simbólico

pipocado por A. às 12:53:00 PM
e então... 
3 comentários Links para esta postagem
10 de novembro de 2009.


O que um dia foi real, hoje reproduzido em um ato simbólico. A comemoração de 20 anos da queda do muro de Berlim me fazendo delirar e pensar como amo simbolismos. Quem diria que o muro de Berlim ia um dia me inspirar.
Sabe-se lá o que se passa na cabeça dos alemães nessa época, na minha vem capítulos e capítulos de história estudados com pressa para a prova do professor que logo entrará na sala de aula. Em 1989 eu não havia nascido e mesmo que o processo de mudança de tornar a Alemanha em uma única Alemanha fosse demorado, eu era nova demais para entender ...
Não significou apenas um muro, significava mudanças. Alguém deve ter chorado na hora da comemoração, alguém se emociona sempre quando pensa o que um dia isso quis dizer.
Também como tendência literária, o simbolismo se opõe ao realismo. Eles assim como a queda do muro de Berlim, acabam com tudo o que existe de concreto. Mas ao ver, é tão real quanto o que se mostra tão fácil tocar. É mais poético, mais interessante e subjetivo.
É sobre o que significa trocar as alianças na hora do casamento. Sobre o que significa soprar as velinhas no dia do aniversário. Sobre o que significa dizer “sempre é sempre” em um momento de esperança de um sentimento não acabar,nunca. É deixar implicito comemorações, momentos, sentimentos, pensamentos.
Por mais que às vezes se perceba que em horas se mostram tão vazios e tão sem importancia quanto um ovo de Pascoa e um Papai Noel, eles procuram algo mais profundo do “eu”, do inconsciente, o sonho. Para quem verdadeiramente sente, os simbolismos são reais e qualquer realidade se torna um simbolismo.

domingo, 8 de novembro de 2009

Voltando para casa

pipocado por Elvino Pinheiro às 12:35:00 AM
e então... 
2 comentários Links para esta postagem
08 de novembro de 2009.

Vinte e um de agosto de mil quatrocentos e noventa e oito. Chega o fim de uma batalha. Este foi o dia em que um homem mudou todas as expectativas do mundo. Se a terra ainda era plana, a partir dele com certeza não foi mais. Se o Cabo era das Tormentas, ele mudou o nome para Cabo da Boa Esperança. Ele domesticou o mar, transformando-o em Mar Português. Ele riu do escorbuto, das dificuldades, da incredulidade, liderando a nação inteira numa viagem que transformou o mundo todo.

Dezembro de 2008. Após caminhos tortuosos, a nau cruzmaltina parte para a viagem mais tortuosa de sua brilhante história. Foram tormentos mil, torturas, traumas, inúmeros perigos e dificuldades tremendas, desacreditado por todos, inclusive pelos seus. Mesmo assim, não se abateu, pois o que a guiava eram suas inúmeras glórias. O sentimento não podia parar, e não parou, até porque, enquanto existir um coração infantil, o Vasco será imortal.

O Vasco da Gama português inspirou Luís de Camões a compor "Os Lusíadas". Poema épico que poderia ser adaptado às proezas não menos heróicas do capitão-mor da frota de épicas esquadras brasileiras no exterior, inclusive. Até na lua existe uma cratera de nome Vasco da Gama. Para quem olha e não enxerga, é apenas um buraco no céu. Para quem vê e crê, sabe que é amor cheio como a lua.

Não importa onde esteja esta paixão: se na segunda dos infernos, no espaço, ou numa quinta portuguesa. Do sangue que borbulha, do milagre que renasce a cada ano, dos navegantes que viajam, que vão e que voltam. Que Vasco!

O Vasco é grande, pois é grande sua história. O Vasco é grande, pois grandes são suas conquistas. Como diria o grande Aldir Blanc, o Vasco é vasto porque é o mar que o inspira.

sábado, 7 de novembro de 2009

O tempo não pode levar.

pipocado por Hítalo Rios às 12:39:00 PM
e então... 
2 comentários Links para esta postagem
 7 de novembro de 2009.



Antes de qualquer coisa, peço desculpas ao pessoal, pelo meu desfalque esse tempo todo. Ando correndo atrás do relógio, mas ele tem sido bem rápido! E é bem provável que isso não esteja acontecendo só comigo. Muita gente tem feito coisas demais e consequentemente abrindo mão de outras coisas, muitas vezes até mesmo obrigatoriamente.

Tempo. Uma palavra simples. Um significado complicado. Eu ainda procuro o meu. Espero que você já tenha achado. As pessoas rotulam tudo aquilo que chamam de vida dizendo que esta mesma é simples. A realidade mais fria e cruel é que a vida nunca foi nem nunca será tão simples. É preciso uma consciência de que sem esforço, não há o alívio de saber que seu pãozinho está garantido.

Sem dramaticidade, sacrifícios sempre são necessários. Apenas precisamos aprender a conviver com duas dúzias de horas. Que a situação pode ficar preta quanto lhe faltar tempo para tudo, disso não tenha dúvidas. Somente precisamos relaxar e ao mesmo tempo não parar, porque uma hora o tempo vai cansar da gente. É aí que pegamos ele!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Reações

pipocado por Lilian às 7:36:00 PM
e então... 
6 comentários Links para esta postagem

SHERLOCK HOLMES E DR. WATSON sairam em viagem para acampar. Depois de um bom jantar e uma garrafa de vinho, eles se recolhem para dormir.

Algumas horas mais tarde, Holmes acorda e dá uma cutucada em seu fiel amigo.

— Watson, dê uma olhada no céu e diga-me o que você vê!
— Eu vejo milhões de estrelas, responde Watson.
— E o que você deduz disso?

Watson pondera por um minuto.
— Bem, astronomicamente, isso me diz que existem milhões de galáxias e potencialmente bilhões de planetas. Astrologicamente, eu observo que Saturno está em Leão. Cronologicamente, eu deduzo que são 3 e 15 da madrugada. Meteorologicamente, eu suspeito que teremos um belo dia amanhã. Teologicamente, eu posso ver que Deus é poderoso, e que nós somos insignificantes perante o Universo... O que o Sr. pensa?

Holmes fica em silêncio por um momento.
— Watson, seu idiota. Ele diz. — Alguém roubou nossa barraca!

*****

Muitas das vezes, pessoas se deparam com situações semelhantes, porém reagem a elas de maneiras divergentes. Isso explica o enigmático comportamento individual aprofundado pela Pirâmide de Maslow e até mesmo pela famosa e intrigante IE (Inteligência Emocional).

Sem mais blá, blá, blá. Isso não vem ao caso agora, uma vez que não se trata de uma aula específica de psicologia ou coisa do tipo. A questão aqui é que seres humanos são diferentes quanto suas personalidades e reações, e isso justifica forma com que cada pessoa tem de lidar com situações inesperadas. Enquanto Sherlock's da vida as enxergam numa visão mais racional, perceptiva e objetiva, os Dr. Watson's as encaram de uma maneira mais emocional, criativa ou subjetiva.
Com quem você se identifica??

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Gato Trapalhão

pipocado por Vitor Vieira às 7:01:00 PM
e então... 
6 comentários Links para esta postagem
Pra falar a verdade eu to um pouco com pressa e um pouco cansado. Acabei de chegar de Campos e ainda tenho que ir no Festival teen, vida corrida. Eu gosto disso, por enquanto eu gosto. Não vou escrever aqui algo que vai mudar sua vida, você com certeza vai ler isso e se perguntar, porque perdeu seu tempo. Mas mesmo assim eu vou escrever.
Vou contar uma história sobre o gato Cantão, o trapalhão.

Miau, Miau, vou passear no quintal, disse Cantão, o gatinho.Andou, correu, subiu, desceu e "tibum", tropeçou. Caiu na lata de óleo e saiu melado igual a pinto pelado.
Au, au, fez o cachorro. Não conheço você, não.
Quá, quá, disse o pato. Cantão você não é, não.
Currupaco, papaco, papaco. Sai senão te empaco, disse o papagaio.
Cantão ficou muito triste.Seus amigos não o conheciam mais e ninguém queria brincar com ele.
Aí mamãe gata chegou.
- Cantão, meu filho, por que você está tão triste?
Você me conhece, mamãe?, perguntou Cantão.
- Claro, meu filho! Mesmo vermelho de tomate, verde igual a abacate, amarelo como marmelo, eu conheço sempre você, Cantão querido.

Tire suas conclusões, quem você é realmente?

domingo, 1 de novembro de 2009

O pé errado

pipocado por Pércio Faria Rios às 11:51:00 PM
e então... 
1 comentários Links para esta postagem
Foi no risca faca que eu te conheci
Dançando... Enchendo a cara
Fazendo farra. To nem aí...
De fato, acredito que não seja a hora mais adequada para me colocar de encontro à composição poético/cirúrgica de Biguá e Pepe Moreno. Não sei se tenho um porquê bem definido. Talvez o simples fato de não querer contrariar ninguém em minha atual situação já seja o suficiente. Os médicos costumam chamá-la de uma operação light, e ela realmente me lembrou o gosto da Coca...
Num último momento, me dispo de qualquer intenção de fazer uma bela apresentação ou mesmo alguma coisa aprazível, e coloco essas linhas na condição de um relatório ou mera justificativa.
Os últimos meses foram, na verdade, uma tentativa infrutífera de adiar o inadiável, que só pôde ser adiado até essa sexta. Não houve mais apelações. Fui pro risca faca. (que na verdade foi um risca laser, graças aos avanços na tecnologia biomédica. Mas este nome ainda não tem música, graças ao retrocesso dos nossos compositores.)
Sim. Fiz farra. Me chaparam de um maldito Boa-noite Cinderela com outro nome e essa é a parte mais interessante a contar pra vocês. Conheci um outro Pércio. Não estava nem aí. Outros detalhes como a cueca, o pós-operatório, a análise-técnica, as recomendações médicas, o tempo de repouso não são tão interessantes e podem me fazer ultrapassar o horário da minha própria postagem; e eu não quero fazer isso.
Nas próximas duas semanas, aguardo visitas ou pelo menos scraps motivacionais de boas vibrações.
Pros mano mando um salve, pras minas mando beijo.
Espero voltar no mês que vem... Respirando.




 

The New Yoki Times Copyright 2009 Reflection Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez | Blogger Templates